Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

ELE QUER SEU VOTO! Candidato Dep. Federal Ronaldo Carletto, dono da empresa de ônibus BRASILEIRO é acusado de perseguir transporte alternativo na Bahia


(Robério Oliveira e Carletto juntos no Extremo sul)

O deputado estadual Ronaldo Carletto (PP), vem sendo duramente criticado pelo deputado Valmir Assunção (PT-BA), que relacionou o deputado estadual Ronaldo Carletto à Agerba, órgão do Estado que regulamenta o transporte coletivo na Bahia. Valmir teceu duras críticas e denunciou abusos praticados na fiscalização do transporte alternativo, principalmente no extremo sul do estado. No dia (Janeiro a Março /2014), no extremo Sul da Bahia, a Cooperativa de Transporte Alternativo fechou a BR-101 por mais de quatro horas para protestar contra os abusos na aplicação de multas, e pedir a reativação do sistema em cidades da região para se credenciar e participar de licitações.

Vejam o que disse Valmir da Tribuna da Câmara Federal: “Isso acontece por determinação do dono de boa parte do transporte na Bahia, dos ônibus que circulam no estado, o parlamentar Ronaldo Carletto [PP], que tem relação com a Agerba – agência que regulamenta e fiscaliza esse processo, e que acaba prendendo os carros e multando as pessoas que fazem o transporte alternativo”. Carletto é dono, entre outras, da Viametro, Rota, Expresso Brasileiro e Viação Rio Cachoeira.

O parlamentar petista relacionou os protestos e mobilizações de trabalhadores no extremo sul, no oeste, no sudoeste, e em outras regiões da Bahia, a essa intervenção do deputado estadual junto à Agerba.

“Mesmo sabendo que já foi aprovada uma lei na Assembleia Legislativa sobre a questão do transporte alternativo, nós precisamos compreender que esse transporte é complementar ao normal que existe como opção para a sociedade. Faço um apelo para que o governador possa, cada vez mais, ter sensibilidade para encontrar uma solução para o transporte alternativo e que as pessoas não sejam humilhadas pela Agerba a mando do deputado estadual”, finaliza Valmir.

Através destas graves denúncias contra este deputado que agora que se candidatou a Federal, gostaria de abrir os olhos da população Tancredense  e de toda região Baixo Sul do Estado, principalmente os proprietários de transporte alternativo (Topic, Besta, Sprinter, Kombi, taxi, moto taxi dentre outros), para tomarem cuidado, Ronaldo Carletto que apreceu na região apoiado por muitas lideranças, acostuma perseguir a categoria, se como deputado estadual Ronaldo Carletto é acusado de perseguir o transporte alternativo com a influência que tem na AGERBA, imagine como Deputado Federal? ele vai acabar com o transporte alternativo na Bahia, para colocar suas empresas de ônibus. Este deputado até o momento não conseguiu nenhuma obra para o município de Presidente Tancredo Neves, mesmo assim é apoiado por muitas lideranças, será porque? Enquanto os outros deputados chegam de carro, Ronaldo Carletto veio para uma reunião com lideranças políticas em Presidente Tancredo Neves, e chegou de helicóptero, demostrando ter muito dinheiro. E porque o povo deveria votar nele? Para ele continuar perseguindo os pais de família que trabalham no transporte alternativo para sustentarem suas famílias? Esta na hora do povo acordar pra vida e não dar mais poder a quem os persegue.


Reportagem  Edmarcos Mendes - Link da Matéria ORIGINAL clique aqui

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Obras de artista de Trancoso-BA é destaque no jardim do Museu da Casa Brasileira

Casulo Perequê, feito a partir da raiz de um Ipê, é uma das peças em cartaz no MCB na exposição Resgate na Natureza


Visitação: até 19 de outubro de 2014

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, apresenta em seu jardim mostra inédita de Hugo França, que trabalha, há mais de 20 anos, com ?o reaproveitamento e transformação da madeira. Em cartaz até 19 de outubro, Resgate na Natureza marca o retorno do designer ao museu 10 anos depois da sua primeira exposição individual no local.

A mostra reúne 15 itens, entre casulos, esculturas, mesas e bancos das mais variadas dimensões, dispostos no jardim do MCB de modo a propiciar interações com os visitantes. Especialmente produzidas para a ocasião, as peças foram criadas a partir de árvores mortas, característica central e requisito básico para as intervenções do designer.

"Só trabalho com árvores mortas, que normalmente se encontram já caídas, ou com a base do tronco que pode estar enterrada até dois metros abaixo da superfície da terra, mas é perfeitamente aproveitável. Desenterramos essas raízes, que são utilizadas na produção das minhas peças. Essa parte que fica subterrânea é a que tem formas mais orgânicas - formas com as quais normalmente não temos contato", explica Hugo França em trecho do catálogo homônimo à mostra em cartaz no MCB, lançado simultaneamente à abertura da exposição, em 16 de agosto.

Nos anos 1980, Hugo França morou no sul da Bahia, em Trancoso, onde mantém ateliê até hoje. Foi neste período que conheceu a matéria prima que norteia sua produção: o pequi-vinagreiro. "Esta é uma árvore que só ocorre no norte do Espírito Santo e no sul da Bahia. Está praticamente extinta e tem alto valor arqueológico. Ela chega à idade adulta com 200 anos e pode viver em torno de 1.200 anos".

"O pequi tem características muito diferenciadas das demais. É uma madeira que carrega toda uma história. Sua cor, sua textura... Ela traz o sentido do tempo, de longevidade. Costumo dizer que as pessoas compram meus trabalhos também pelo seu conceito, por enxergarem a dimensão do tempo contida na madeira", afirma o designer. "Minha ideia foi sempre me aproximar das formas originais, tentar o máximo possível manter os registros da árvore".

Na mostra no MCB, Hugo França expõe peças de características funcionais - como poltronas, bancos e mesas -, mas também obras de natureza exclusivamente escultórica. "O aspecto escultórico é o lado poético do meu trabalho; a funcionalidade é o lado racional. É por isso que, ao escrever sobre o meu trabalho, Ethel Leon chamou-o de esculturas mobiliárias, destacando o fato de eu lidar com o racional e com o poético ao mesmo tempo."

Sobre Hugo França

Hugo França é conhecido por suas esculturas mobiliárias de natureza monumental. Sua obra passeia entre o artístico e o utilitário, contando um pouco da história do Brasil. Sua obra figura entre as mais conceituadas do design contemporâneo nacional, além de fazer sucesso também no exterior. Adepto do respeito à natureza, Hugo propõe o aproveitamento de resíduos florestais e materiais lenhosos. O ponto de partida é seu olhar sensível para as árvores - principais fontes de inspiração e matéria-prima - mais precisamente as do Pequi, centenárias e em extinção.

Com forte caráter artesanal, o conceito do trabalho é cíclico, já que o designer acredita na transformação criativa de usos para os objetos. A intenção é levar a árvore de volta ao convívio humano de maneira harmoniosa. A partir desse material descartado, cria peças únicas com seus troncos, galhos e raízes que não teriam utilidade ou valor comercial não fosse sua intervenção. O resultado é um design orgânico e surpreendente, que preserva as formas e as características naturais da madeira. "Os móveis de Hugo França são simples e expõem com clareza seus propósitos. Sua poética é forte, dramática e sensual. O designer imprime na forma algo de sensualidade, certas características de carne, de vida, no que antes era matéria morta, esqueleto vegetal", sintetiza Fabio Magalhães, curador e crítico de arte e design.

Sobre o Museu da Casa Brasileira

O Museu da Casa Brasileira se dedica às questões da cultura material da casa brasileira. É o único do país especializado em design e arquitetura, tendo se tornado uma referência nacional e internacional nesses temas. Dentre suas inúmeras iniciativas, destaca-se o Prêmio Design Museu da Casa Brasileira, realizado desde 1986, e o projeto Casas do Brasil, que promove um inventário sobre as diferentes tipologias de morar no país.

SERVIÇO:

Exposição Hugo França - Resgate na Natureza
Visitação: até 19 de outubro de 2014

Local: Museu da Casa Brasileira
Horário: de terça a domingo das 10h às 18h
Endereço: Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705 - Jardim Paulistano
Tel. 3032-3727

Ingressos: R$ 4 e R$ 2 (meia-entrada)
Entrada gratuita aos sábados, domingos e feriados

Acesso a pessoas com deficiência/Bicicletário com 40 vagas
Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: 3032-2564 - agendamento@mcb.org.br
Site: www.mcb.org.br

Informações para a imprensa | Museu da Casa Brasileira
Filipe Bezerra - Coordenador de Comunicação | comunicacao@mcb.org.br
João Vicente - Assist. de Comunicação |assistcomunicacao@mcb.org.br 
Izabelle Prado - Assistente de Comunicação | assist2comunicacao@mcb.org.br 

Informações para a imprensa | Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo
Jamile Menezes - (11)3339-8243 | jmferreira@sp.gov.br
Natália Inzinna - (11) 3339-8162 | ninzinna@sp.gov.br

Por Cabrália News

Associação faz proposta para suspender direito a voto de quem recebe Bolsa Família



A Associação Comercial e Industrial de Ponta Grossa (ACIPG) publicou uma cartilha defendendo que beneficiários do Bolsa-Família e de outros programas de transferência de renda governamentais tenham seu direito ao voto temporariamente suspenso. O documento foi entregue na semana passada a candidatos da região dos Campos Gerais.

Presidente da associação, Nilton Fiori afirma que a ideia é garantir a “lisura” das eleições, já que os beneficiários de programas do gênero poderiam ficar vinculados aos governos. A ideia de que os programas de transferência de renda poderiam ser considerados semelhantes a compra de votos. No entanto, a associação é a primeira de que se tem notícia a botar a proposta no papel.


Segundo Fiori, a proposta de incluir a suspensão dos direitos na cartilha foi unânime na diretoria. “Temos consciência de que hoje isso é inconstitucional, mas queríamos levantar o debate”, afirma. O presidente afirma ainda que a proposta foi bem vista pela maioria dos candidatos da região, durante a apresentação realizada na semana passada. De 37 presentes à reunião de lançamento da cartilha, apenas três teriam se pronunciado contra a ideia.

Fiori diz que a ideia não é barrar apenas os beneficiários do Bolsa-Família, mas quem recebe qualquer recurso de programas do gênero, sejam federais, estaduais ou municipais.

POR INFOMONEY

Voo da Azul entre Teixera de Freitas e Salvador vai levar 45 minutos



A Azul Linhas Aéreas lançou, ontem, dois voos a partir de aeroportos baianos – um que vai fazer a ligação entre Feira de Santana e Salvador e o outro, entre Teixeira de Freitas e Belo Horizonte (MG). O início da operação comercial dos dois voos está previsto para o dia 29, quando será possível embarcar a partir das duas cidades baianas para mais de 50 destinos no país operados pela companhia aérea.

O custo das passagens ainda não está definido, afirmou o diretor de relações institucionais da Azul, Ronaldo Veras. “Os valores vão seguir a política de preços acessíveis da empresa. Mas não podemos divulgá-los até que tenhamos a autorização da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil)”, disse. 

De acordo com a Anac, os pedidos de autorizações foram solicitados, no início deste mês, e devem ser respondidos até o dia 29. O roteiro entre Feira de Santana e Salvador está previsto para acontecer às terças e quintas-feiras e Teixeira de Freitas será operado às segundas, quartas e sextas-feiras.

Feira ainda terá rota para Belo Horizonte, com conexão em Vitória da Conquista aos domingos. As cidades de Feira e Teixeira de Freitas vão se somar a outras oito que já têm voos regulares da companhia aérea. São elas: Valença, Porto Seguro, Ilhéus, Vitória da Conquista, Lençóis, Barreiras, Paulo Afonso e Salvador. A Bahia é o terceiro estado brasileiro no número de destinos da Azul e, segundo Veras, o interesse da companhia é de ampliar a cobertura em breve.

“Nossos voos aqui têm uma taxa de ocupação acima de 80%. A Azul tem planos de ampliar a cobertura no território nacional, só dependemos das condições adequadas para isso”, falou. Segundo ele, a empresa avalia a possibilidade de ampliar a presença em Feira de Santana.

“Nós acreditamos que Feira tem potencial para ser aqui o que Campinas é para São Paulo”, afirmou. O governador Jaques Wagner destacou o estímulo que o voo para Teixeira de Freitas, no Extremo Sul, representa tanto para as empresas instaladas na região, quanto para o turismo.

O Extremo Sul reúne diversas indústrias produtoras de celulose. Para o presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens na Bahia, José Alves, o roteiro pode impulsionar o turismo na região. “Daqui (Teixeira de Freitas) para Prado, a distância é de 70 quilômetros”, disse. 

Correio da Bahia

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação solicita a inclusão da Bahia no Horário de Verão



O ministro das Minas e Energia, Edison Lobão e o governador Jaques Wagner, como também os candidatos ao Governo e ao Senado receberam um Ofício da Febha – Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação, expondo as razões pelas quais solicita a inclusão da Bahia no Horário de Verão a ter início este ano até começo de 2015.

O argumento do presidente da entidade, Silvio Pessoa, é que a medida seja ampliada dos atuais três meses para seis meses, como ocorre na Europa e Estados Unidos, beneficiando não só o turismo como também colaborando fortemente com a redução do consumo de energia elétrica, problema que aflige perigosamente todo o Brasil.

Confira a carta na integra:

Ilustríssimo Sr. Edison Lobão
Dd. Ministro de Minas e Energia

Sr. Ministro

A Febha – Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação, composta dos príncipais sindicatos do estado da Bahia entre eles: Salvador, Ilhéus, Porto Seguro, Itaparica e Mata de São João, vem, muito respeitosamente, pedir a inclusão do estado da Bahia no horário de verão no período de 2014 / 2015.

A importância desta Federação pode ser definida por ter uma representatividade mensurada pelos seus grandiosos números.
três mil e quinhentos meios de hospedagem; trinta mil bares e restaurantes; hum milhão de postos de trabalhos, representados por mais de duzentos mil empregos diretos e setecentos e cinquenta mil empregos indiretos.

Esta força grandiosa também pode ser medida se comparada ao setor mais pujante do Brasil de hoje – o agronegócio.
sem favor nenhum, nós somos, com orgulho, os maiores empregadores do estado da Bahia.por isso pedimos o retorno do horário de verão, uma condição importante, e que pode ser ampliada dos atuais 3 meses para 6 meses, o que já acontece na Europa e na América do Norte, continentes esses que tem no turismo uma de suas principais fontes geradoras de emprego e renda.

Tal medida proporcionará aos turistas mais tempo de visitação, aproveitando a luminosidade do dia, além de gerar real economia de energia num momento tão crítico que atravessamos hoje, sempre ameaçados pelo fantasma do apagão energético.

Além de tudo, a discrepância entre os horários dos estados tem provocado sérios problemas de comunicação, alteração na grade de voos, funcionamento da rede bancária, entre outras inconveniências. 

Certos do atendimento e receber suas boas notícias, aguardamos com expectativa o retorno do nosso pedido.

Silvio Pessoa
Presidente da Febha